Você é o visitante n°

Prof. Dr. Robson Maia Franco

Prof. Dr. Robson Maia Franco

Seguidores

Postado por Microbiologista domingo, 31 de janeiro de 2010

Perigos do botulismo

Alimentos mal preparados e conservas estragadas oferecem sérios riscos à saúde Para Robson Maia Franco, professor doutor em Microbiologia de Alimentos da Universidade Federal Fluminense (UFF), é necessário tomar precauções grandes quando o assunto é o botulismo. Segundo o professor, a doença causada pelo microorganismo Clostridium botulinum pode ser facilmente adquirida através do consumo de alimentos mal preparados.
O doutor afirma que a doença é extremamente perigosa. “A bactéria Clostridium B. é responsável pela produção da toxina Botulinum, que é a substância orgânica mais perigosa para os seres humanos. Apenas alguns microgramas podem ser capazes de levar à morte. A toxina, que é neurotóxica (atinge o sistema nervoso), é utilizada em alguns tratamentos médicos, e é comercializada através da marca botox. Além da forma adquirida pelo consumo de alimentos contaminados, existem outras duas formas da doença: o botulismo infantil, que acomete bebês, e normalmente está associado com o consumo de mel, e o botulismo por feridas, que ocorre quando a bactéria penetra nas feridas da vítima. Um agravante é a grande difusão da bactéria em nosso ambiente, presente no solo e mesmo na poeira. É particularmente famosa por proliferar em conservas”.
Robson explica que, em alimentos, a bactéria pode ser encontrada em conservas de carnes, palmito e peixes. “As conservas caseiras também são muito perigosas, porque muitas vezes as medidas de higiene que devem ser tomadas no preparo não são consideradas. Para o consumo seguro desses alimentos, deve-se efetuar o aquecimento do produto em temperaturas acima de 120° C, para garantir a destruição dos esporos pelos quais o microorganismo se espalha”, diz ele, acrescentando que também é importante manter a cozinha devidamente higienizada, uma vez que o ambiente sujo pode favorecer a contaminação dos alimentos.

Quanto às variedades infantil e por feridas da doença, o especialista explica que são causadas pelo mesmo microorganismo, mas a variedade infantil deve ser prevenida, evitando-se o consumo de mel pelos bebês. Aquela que ocorre pelas feridas pode ser evitada com a limpeza das lesões. Ele recomenda a higienização de machucados com água e sabão, porque, segundo ele, o oxigênio contido no sabão é nocivo para a bactéria, que é anaeróbia (vive sem oxigênio).

São sintomas da doença, de acordo com o professor: visão dupla (diplopia), musculatura flácida, dificuldade de movimentos nas articulações e parada respiratória. Ele alerta que em caso de surgimento desses sintomas, é vital que se procure auxílio médico. O botulismo também é reconhecido por ser uma doença onde as chances de sobrevivência do acometido são pequenas, portanto, é muito importante buscar ajuda o quanto antes.

Acessibilidade | Política de Privacidade | Fale Conosco
Unimed-Rio Cooperativa de Trabalho Médico Ltda.
Avenida Armando Lombardi, 400. Lojas 101-105. Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ. CEP 22640-000
Copyright © 2008 Unimed-Rio - Todos os direitos reservados